quarta-feira, 14 de abril de 2010

Só para lembrar


Estaremos sábado agora, dia 17 de abril de 2010, às 15 horas na esquina da Rua do Ouvidor com Rua do Mercado.

Aos que não perceberam, nossa roda sofreu algumas mudanças. Alguns amigos que ajudaram na formação inicial da roda infelizmente tiveram que sair, entretanto, a amizade e o respeito permanecem.

Outros, também amigos, estão chegando devagar e mostrando que vieram para ficar.

Raphael tá no pandeiro, Julião Cachaça e Iuri assumiram os violões, Thadeuzinho vem chegando tocando um repique de anel de respeito junto com o Bidu, que fica na cozinha, dando o molho à roda e com o querido Marcello Professor, que vem no agogô. Gabriel Menezes tá fazendo uma dupla de cavacos comigo.

Todos eles unem-se a Velha e Lelê, a melhor dupla de tamborins da atualidade, meu irmão querido Fábio Cazes na marcação, Paulinho Bicolor naquela linda cuíca que só falta falar, Brigante da Muda no recoloncello, apelido dado ao reco gigante que o malandro arrumou.

E não podemos nos esquecer dos agregados Daniel Camisa de Botão no clima, Lúcia Helena, engrossando o coro das pastoras, Daniel Ceará, Cirilo, Dalton, Fernanda, Chico Bombeiro, o rei do Malbec, Pedro Fuzil, nosso linha de frente, Bocão, Bruno Buchecha, os vascaínos Diego e Fábio, Pablo da Ilha do Governador, Marcelo Azevedo do Black, entre tantos outros que não me recordo o nome, mas que são figuras fundamentais para a nossa farra.

Gostaríamos de reforçar, mais uma vez por aqui, que o samba é isso, a amizade, o butiquim, a rua. É preciso que as pessoas entendam que o samba é muito mais do que estar num palco cantando músicas inéditas ou clássicos. O samba é muito mais do que colocar um chapéu, uma calça branca, uma sandália de couro ou um sapato de bico fino.

O samba é poesia, é viver com alegria, é o olhar e o sorriso de uma criança, como bem disse Candeia. O samba é que é revolução, é preciso que se convençam, como bem disse Paulo César Pinheiro.

Ps.: a foto acima foi cedida pelo meu cumpadre Vitor Cachaça.
É isso aí rapaziada, temos encontro marcado sábado agora. Muita cachaça e muito samba. Levem bebidas.

Abraços!

Ass.: Gabriel Cavalcante ( da Muda )

8 comentários:

Nelson Borges disse...

Fala meu amigo,
saudades de todos...
Estou embarcado e não estarei nesta farra de respeito, mas na próxima, com certeza.

Abraços

Anônimo disse...

É isso aí Gabriel o samba pelo samba, na rua, no pé sujo mais vagabundo.

Salve o samba, o bar e amizade.

Abs.

Pablo

Lucia Helena disse...

Muito bonito Gabriel!!!
No samba da Ouvidor tenho amigos que são para toda a vida e isso me faz muito feliz!!!
Até sábado!

Bambalejalu disse...

Adoro aquilo ali.
Hoje é o dia, sol lindo... Tempo gostoso, é só pegar as barcas e em três segundos eu estou no paraíso!

Bambalejalu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
seufagner disse...

Muito legal a postura Gabriel. Todos os sábados que vou à Ouvidor sinto aquela coisa orgânica, o samba sem palco e apoteose, algo feito por todos e os músicos simplesmente guiam, pois o ritmo, na verdade, vem de todos. Maravilhoso.

Grande abraço

Fagner

Carol disse...

Gabriellllll...esqueceu de mim e da Glorinha =[[ hehehe

Bjao querido!

dml_fjv disse...

Fala Gabriel.
O último samba esteve perfeito.
Foi emocionante ver o Sr. Ledir emocionado. A proposito, bem que você podia postar a música dele no blog, caso tenha ein?
To sentindo falta desse samba nesse feriadão. Se eu for domingo pra paqueta, é capaz de eu ficar por lá mesmo. rs

Abraço e Saudações vascainas!

Abraço e Saudações vascainas.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails